Os dias atuais e o futuro só estimulam o movimento da Indústria a ampliarem as alternativas e caminhos de estarem cada vez mais perto de seus consumidores e conhecê-los nos mínimos detalhes. Se antes o D2C (Direct-to-Consumer) era classificado como um modismo, hoje é caracterizado como fluxo estratégico global, em que a pandemia e suas consequências aceleraram ainda mais essa demanda das marcas de venderem diretamente ao consumidor final.

Nesse caminho de entender seu público, a alternativa mais atraente e rentável é a criação de uma loja on-line. Em tempos de quarentena e home office, o e-commerce foi o carro-chefe em diferentes países para a manutenção do consumo. No Brasil, segundo dados do índice MCC-MET, desenvolvido pelo Comitê de Métricas da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (camara-e.net), em parceria com o Movimento Compre & Confie, as vendas mais que dobraram em junho de 2020, registrando alta de 110,52% em comparação ao mesmo período de 2019.

Nos Estados Unidos, conforme relatório feito pelo Digital Economic Index, da Adobe, o total de compras realizadas no on-line esse ano pelo consumidor norte-americano até 05 de outubro deve superar o total de compras realizadas digitalmente ao longo de todo ano de 2019.

Todos estes dados mostram que, mesmo pós-pandemia, o caminho é cada vez mais a Indústria estar no on-line. Para gerar relevância, ela deve oferecer muito mais que um simples produto, e sim uma experiência única ao seu futuro cliente – seja por meio de um conteúdo detalhado com informações extras ou algum serviço exclusivo. Usando de todas as ferramentas disponíveis no seu e-commerce, a indústria consegue expor todo seu portfólio (até os produtos com baixo giro), atuar em diferentes canais on-line, mensurar dados para projetos futuros e atrair o consumidor que deseja, assim entendo seus hábitos, estreitando relações com ele e o principal: ganhando a confiabilidade dele de sempre procurar antes a indústria.

Laço forte entre Marcas e Consumidores

O modelo de venda direta permite a indústria captar o máximo de informações possíveis sobre o seu cliente, oferecendo assim uma plataforma que atenda às suas necessidades e gerando novos insights do que a indústria pode oferecer de novo a ele. Nesse caso, podemos mostrar como a Melitta conseguiu captar isso e oferecer ao seu público final algo exclusivo.

Em abril de 2019, em comemoração ao Dia Mundial do Café, a Melitta lançou o café especial Lua de Sangue, que tem sua colheita feita à noite durante o eclipse lunar na Serra da Canastra, em Minas Gerais. Por ser um produto exclusivo e feito artesanalmente, a marca disponibilizou as vendas apenas em seu e-commerce – gerenciado pela Synapcom – e com um microlote de 200 unidades, limitando a venda a um público específico.

Produtos e ações deste tipo geram o interesse de quem realmente gosta da marca e de café – além ajudar na fidelização do cliente, onde ele sempre vai procurar a indústria quando quer novidades e exclusividades.

Full Commerce como Solução para a Estratégia

A sigla D2C (ou DTC) é recente e surgiu na esteira da tecnologia mobile e de plataformas digitais, como o e-commerce. Esse modelo vem de encontro com o perfil dos consumidores atuais, onde eles se mostram bem mais informados, dinâmicos e interessados na experiência de compra que o canal irá lhe oferecer – além de estarem ligados ao propósito das marcas e seu relacionamento com o público. Por conta desse interesse da Indústria em estar cada vez mais próxima do cliente final e não ter o core de gerenciar um e-commerce in house, escolher uma empresa que faça o full outsourcing de toda a operação e gestão da loja on-line é o melhor caminho a seguir.

Optar por um outsourcing é contar com uma empresa que já tem a estrutura necessária para potencializar seu projeto. A proposta da solução Full Commerce é oferecer todos serviços que uma loja on-line exige:  planejamento, logística, transporte, marketing, atendimento ao cliente, meios de pagamento, segurança digital, operação, consultoria, entre outras atividades relacionadas a operação de um e-commerce. Além disso, trabalhar junto com uma empresa especialista, dá oportunidade à Indústria de aprender mais rápido e potencializar os resultados desejados.

D2C como Acelerador Digital

A transformação digital mostra que cada vez mais o cliente quer ser surpreendido e não se sente atraído pelas mesmas estratégias de antes. Por mais que ainda há algumas barreiras na conversão de compra de determinados produtos, o digital está se reinventando para oferecer ao cliente características até então exclusivas do offline, onde pode sentir, cheirar e ver produtos que irão adquirir graças a soluções customizadas de inteligência artificial.

A previsão é que nos próximos anos a indústria esteja fortemente ativa no online e não porque querem, mas porque seus clientes estão lá. O D2C é mais um caminho deste novo mundo que cada vez mais precisa de dados para entender o seu cliente e o seu comportamento. Em um mercado cada vez mais competitivo e cheio de possibilidades, é fundamental para o sucesso do seu negócio saber exatamente o que o consumidor quer – tanto no online quanto no offline.

 

Acompanhe as nossas novidades